2ª Via do Carnê do IPTU Online
Editais de Licitação

Projeto “Vale Cidadania” pretende inovar forma de oferecer ajuda aos moradores de rua em Porto Feliz

Na última segunda-feira, 25 de maio, aconteceu o lançamento do “Vale Cidadania”. O projeto é mais uma etapa do atendimento social dado aos moradores e migrantes de rua de Porto Feliz, que vem modificando a maneira de acolher e atender esse público. A solenidade foi realizada na Estação das Artes “Assumpta Luzia Marchesoni Rogado”.

Realizado pela Prefeitura de Porto Feliz e pela Associação Christã de Assistência Plena (Acap) em parceria com a Associação Comercial e Empresarial (Acepfz) e a rede social do município, o objetivo do projeto é mudar a cultura da esmola no município. A população será conscientizada a não dar dinheiro aos pedintes e, em seu lugar, entregar o Vale Cidadania, que garantirá o atendimento correto do indivíduo. “Parte da população sabe que a esmola, além de não resolver o problema real do pedinte, faz com que a pessoa se mantenha naquela condição de abandono social e de rua. A esmola não garante o futuro de ninguém. A sociedade precisa ser lembrada disso”, afirma o fundador da Acap, Luis Santos.

O Vale Cidadania é um ticket que será entregue para toda população. Quando o morador de rua pedir dinheiro ou comida a uma pessoa, ao invés de dar esmolas (como usualmente é feito), ela deverá entregar o Vale Cidadania. O ticket dá direito a um atendimento social ao portador, que seguirá para uma unidade da Acap e receberá atendimento especializado, incluindo alimentação, banho, abrigo, tratamento e o acompanhamento correto do caso para que o morador de rua possa sair da condição de vulnerabilidade e ressocializar-se.

“O atendimento especializado ao morador de rua é um projeto que estava no nosso Plano de Governo e que salva vidas. Ele está dando certo porque temos grandes parceiros, como a Acap e a Associação Comercial”, disse o secretário de Desenvolvimento Social e Sustentável, João Carlos Esquerdo Junior. “O Vale Cidadania garante que o morador de rua irá sim ser ajudado, alimentado e atendido. Não é uma privação e nem uma negação de ajuda. A comunidade precisa colaborar com essa idéia para que ela tenha um grande êxito”, prossegue.

A gerente administrativa e assistente social da Acap, Rosa Cardozo Queiroz Pereira, falou sobre a necessidade de incorporar o Vale Cidadania no dia a dia dos portofelicenses. “O Vale Cidadania substitui o valor monetário. Sabemos que o dinheiro não é investido na melhoria da qualidade de vida do morador de rua, em moradia ou roupas. Na maioria dos casos, ele fará o uso indevido de substâncias. A droga traz a sensação temporária de estar alimentado, aquecido, feliz. Mas esse não é o caminho certo”, detalhou Rosa. “O projeto não existe apenas para os moradores de rua, existe para toda a comunidade. Ela será fundamental para que essa iniciativa funcione. Talvez a aceitação demore um pouco, mas vamos trabalhar para que todos adotem o Vale Cidadania em Porto Feliz”, finalizou.

 

Distribuição

Toda a população terá acesso ao vale. No mês de junho, serão impressos e disponibilizados 10 mil vales numerados em comércios da cidade, que deverão ser distribuídos gratuitamente aos clientes das lojas. Além disso, 16 mil tickets também serão entregues junto com a conta de água do próximo mês de julho (referente ao consumo do mês de junho), acompanhados de folhetos explicativos sobre o projeto.

 

Humanização

O evento contou com a apresentação musical dos ex-moradores de rua de Porto Feliz atendidos pela Acap. O prefeito Cláudio Maffei (PT) acompanhou emocionado o evento. “É gratificante vê-los tão bem, recuperados, cantando. Dificilmente fico tão emocionado como hoje”, afirmou o prefeito. “Sou um humanista e não consigo passar por uma pessoa, vê-la em num ponto de ônibus, deitada, sozinha, em abandono. Pessoalmente, já não deixo que isso aconteça e procuro ajudar. Hoje, agradeço muito a todos os nossos parceiros que nos ajudam a colocar a bondade em prática. Agradeço a vocês, por me tornarem mais humano”, completou Maffei.

Também acompanharam a cerimônia a primeira-dama do município e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Patrícia Rosa Maffei; a chefe de Gabinete da Prefeitura de Porto Feliz, Regiane Aguiar Silva Bergamo; comandante da Polícia Militar, Marco Antônio Correia Ramos; o comandante da base de Bombeiros de Porto Feliz, Marcelo de Freitas; o presidente da AcapAntonio Benedito de Lima; o vereador Urias de Oliveira (PT), o presidente da Associação Comercial, João Maria Rafael Filho, acompanhado pelo vice-presidente Felix Schiavano, além de diretores e coordenadores da Prefeitura de Porto Feliz e representantes da diretoria da Acap.

 

Projetos

Há mais de um ano, funcionam no município o Centro de Triagem e Casa de Passagem – espaços que funcionam com o objetivo de retirar os moradores das ruas e promover sua ressocialização.

O projeto começa com a triagem nas ruas, onde ficam os moradores. São coletadas diversas informações sobre a pessoa antes de encaminhá-la ao abrigo. A Casa de Passagem faz o atendimento básico do morador de rua e também acompanha o desdobramento do caso, as necessidades do morador, tratamentos de saúde, retorno à cidade de origem. O trabalho prossegue em uma chácara no bairro Bom Retiro com cursos de capacitação e outras atividades.

 

 

Serviço
ACAP –
Centro de Triagem e Casa de Passagem: R. Adhemar de Barros, 306, Centro, Porto Feliz/SP

Telefone: (15) 3261-3434

  • Rádio Porto

    Alternativo