Prêmio Pedro Moreau homenageia funcionários e professores da Educação de Porto Feliz

Cerca de 400 pessoas compareceram à entrega do 17º Prêmio Pedro José Moreau de Educação. A cerimônia aconteceu na noite desta terça-feira, 15, no Espaço Cultural “Olair Coan”.

Neste ano, uma comissão formada por seis pessoas foi instituída para organizar os trabalhos que apresenta indicados da rede educacional municipal, estadual e particular.

A eleição é feita pelos próprios funcionários e professores das escolas. Na categoria professor, a escolhida foi Sônia Jaqueline da Silva Oliveira, professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental Professora Vilma Fernandes Antônio e formadora do PNAIC – Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa. Já na categoria funcionário, o nome mais votado foi de Vera Lúcia de Souza, da Escola Estadual Professor Pedro Fernandes de Camargo.

Os finalistas na categoria professor foram: Katiana Maria de Mello Pereira Carvalho e Maria Lúcia Pereira Gutierrez. Na categoria funcionário, os finalistas foram: Maria Salete Soares, Maria Ivone da Silva Santos, Neuzeli Aparecida de Campos Mates.

Para abrilhantar o evento, aconteceram quatro apresentações do Coral Infantil da Escola de Música “Romário Antônio Barbosa”.

 

Sobre o Prêmio

A primeira edição aconteceu em 15 de outubro de 1996, quando o professor Pedro José Moreau, já com sua saúde frágil, esteve presente ao evento, sendo homenageado.

O Prêmio “Pedro José Moreau de Educação” foi instituído pela Lei nº 4658 de 15 de dezembro de 2008, através do Projeto de Lei do então vereador Miguel Arcanjo de Almeida. O prêmio, anteriormente, era concedido através da Associação dos Trabalhadores em Educação de Porto Feliz.

 

Quem foi Pedro Moreau

Pedro José Moreau nasceu em sete de julho de 1910, foi lavrador, ajudante de cozinheiro, almoxarife, bibliotecário, poeta e colunista de diversos jornais do município. Autodidata, ensinava filosofia, francês, latim e português. Era sensível às coisas referentes a Porto Feliz, principalmente à sua história e folclore. Descendente de Belgas nasceu e cresceu na Colônia Rodrigo e Silva.

Para realizar um sonho de sua mãe e seu sonho também, Pedro seguiu o seminário. Mas, por problemas de saúde, foi dispensado pelo próprio bispo, que o considerou frágil demais para o trabalho pesado.

Durante muitos anos ganhou a vida dando aulas particulares de português e latim. Discreto e humilde, Pedro José Moreau, só se tornou mais conhecido já com idade avançada. Trabalhou no Museu Histórico e Pedagógico das Monções, continuou dando aulas particulares e escreveu para vários jornais da cidade. Seu Pedro escrevia com conhecimento sobre filosofia e história, mas na maioria das vezes, preferia escrever e publicar poesias.

Quando no exercício da sua função de bibliotecário, na única biblioteca pública existente no município que funcionava no Museu Histórico e Pedagógico das Monções, auxiliava todos os estudantes que o procurava, dando muita atenção e carinho ao transmitir seus conhecimentos. Era um ícone da educação local, todos que buscavam conhecimento nesta época recorriam a ele, pois os livros eram raros.

Católico fervoroso, seu Pedro não se adaptou à vida moderna, não cansava de reclamar de coisas como o barulho excessivo dos veículos, sempre dizia que, se pudesse, acabaria com os carros. Uma de suas características era sempre andar a pé, ia e voltava do sítio da família, ao lado da antiga Colônia Rodrigo e Silva, caminhando.

Após dedicar toda uma vida à Educação do povo de Porto Feliz, veio a falecer aos 86 anos, no dia 23 de março de 1997.

  • Vídeos

    Invista em Porto Feliz

    Rádio Porto

    Alternativo